Raízes fortes para o futuro

A tradição é tanto um compromisso como a base para o sucesso a longo prazo e, assim se caracteriza a história da empresa STEINERT.

Documentos que datam mais de 100 anos atestam as primeiras realizações de pioneirismo de Ferdinand Steinert, fundador da empresa. Repletas de histórias, elas são a origem de um desenvolvimento que abrange desde a separação de pedaços de ferro compactos à alta tecnologia de filtragem de pequenas micropartículas.B

asta clicar e viajar através dos muitos marcos interessantes da excitante história de nossa empresa.

2009 até o presente

RTT Systemtechnik GmbH em Zittau e STEINERT decidiu desenvolver e produzir em conjunto o sensor de sistemas de triagem UniSort sob a nova empresa de capital RTT Steinert GmbH. Deslocalização da sede norte-americanos STEINERT a área Greater Cincinnati.

2007

Até o final de 2007, cerca de 2.200 separadores de metais não-ferrosos, caracterizando um sistema magnético excêntrico, tinham sido vendidos, tornando-se o separador de corrente induzida best-seller em todo o mundo. A aquisição de uma participação majoritária na RTT Systemtechnik GmbH Zittau e mudando o nome da empresa para RTT Steinert GmbH em 2009 completou a gama de produtos.

2004 - Da Austrália para a China

A aquisição das operações da empresa Sturton-Gill, na Austrália em 2004 marcou uma importante etapa no estabelecimento de uma orientação para o cliente em todo o mundo. Sob esse novo nome, a STEINERT Australia Pty. Ltd, em Melbourne, ocupa uma posição entre os principais fabricantes de ímãs na região Ásia-Pacífico, fornecendo tanto para a crescente indústria de reciclagem quanto para a próspera indústria de minerais da região. Uma parte significativa dos produtos é exportada da Austrália para a China.

2003- A STEINERT chega aos Estados Unidos

Em 2003, a empresa lança o HGS ( High gradient Magnetic Separator) para a separação de partículas paramagnéticas ultrafinas em sal e produtos químicos para a construção.

O grande sucesso dos produtos da STEINERT no mercado norte-americano levou à fundação da STEINERT US LTD em St. Petersburg, na Flórida, uma joint venture com o antigo representante da empresa nos Estados Unidos.Cli

entes de todo o país logo se beneficiaram com a infraestrutura estabelecida, recompensando a mudança com um aumento substancial do volume de pedidos.

STEINERT 2000 – Novos produtos e alinhamento global

O novo milênio começa com a introdução sistemática de uma nova geração na empresa, bem como com atividades intensivas de pesquisa e desenvolvimento que permitem o lançamento de um novo, e em alguns casos, único equipamento no mercado de tecnologia de separação. Novas subsidiárias e cooperativas de vendas reforçam a presença da STEINERT em todo o mundo.

Os avanços nos segmentos de sensores e de informática facilitam o desenvolvimento desejado do FSS e do ISS. Ambos os tipos de dispositivos visam aumentar ainda mais a saída de metal pela utilização de processos totalmente mecanizados. Em particular, o ISS®, introduzido pela primeira vez em 2001, ganhou aceitação mundial no mercado de reciclagem de metais durante a época do boom das matérias-primas. Ao mesmo tempo, surgem novos mercados nas áreas de produção de combustíveis derivados de resíduos, preparação de madeira, e reciclagem de plásticos.

Com o desenvolvimento e lançamento do HGF, a STEINERT abre novas portas na indústria. Pela primeira vez o separador de matriz de imã permanente torna possível separar os componentes magnéticos ultrafinos dos fluidos do processo com uma eficiência superior a 90%.

Hoje, o HGF é usado em todo o mundo. Além disso, ele se estabelece no setor da biotecnologia, permitindo o aproveitamento da tecnologia inovadora da STEINERT por essa indústria em rápido desenvolvimento.

1987- Separador de metais não ferrosos com sistema de pólos excêntricos

Em 1987, a STEINERT lançou o primeiro Separador de metais não ferrosos com sistema de polos excêntricos. Ele é usado para recuperar metais não ferrosos tais como alumínio, cobre, magnésio e latão, e substitui o sistema concêntrico.

Mais uma vez, a STEINERT prova ser uma líder pioneira para uma indústria inteira.

Final dos anos 60

No final dos anos 60, a STEINERT superou os seus concorrentes americanos com o desenvolvimento de um produto inovador que a tornou líder mundial: a bobina Anofol.

Enquanto as empresas americanas usavam bobinas de cobre convencionais, a STEINERT foi o primeiro fabricante a usar tiras de alumínio anodizado. A bobina compacta produzida por este método caracteriza-se principalmente por um fator de preenchimento excepcional, assim como uma excelente condutividade térmica.

Esta inovação, que também é usada em outros setores da indústria, marca mais um avanço importante para a STEINERT. Nos anos seguintes, os processos de desenvolvimento e de produção proporcionaram uma mudança contínua no setor de separação e, devido a uma economia em mutação, os ímãs de levantamento experimentam um mercado em declínio mas a empresa responde rapidamente, enxergando os requisitos mais exigentes de seus clientes como um novo desafio.

1966 - O primeiro Extrator Magnético Suspenso

Em 1966, a STEINERT introduziu o primeiro Extrator Magnético Suspenso para a recuperação de ferro a partir de shredder, lixo doméstico, resíduos de construção, refugo e escória proveniente da produção de aço.

Milhares dessas máquinas serão implantadas em todo o mundo nos anos seguintes.

1963 - Nova série de ímãs de levantamento

Após os anos de reconstrução pós-guerra, a STEINERT obteve sucesso rapidamente com seus novos produtos inovadores. Em 1963, a empresa apresentou o protótipo de uma nova série de ímãs de levantamento em seu estande na Feira de Hannover. Vantagens: leve, maior força magnética e melhor custo.

Ao mesmo tempo, o processamento e a reciclagem de resíduos se tornavam cada vez mais importantes na década de 1960. A escassez de recursos, os requisitos de proteção ambiental, bem como o aumento dos custos no mercado de commodities tornaram as novas tecnologias essenciais.

A STEINERT consistentemente atendeu a esses desafios com grande paixão e com toda uma série de novos produtos.

1931- Surge um forte grupo empresarial

Julius Christian Buchholz adquire a empresa "Ferdinand STEINERT Elektromagnetische Aufbereitungsanlagen". As duas empresas são um ajuste perfeito e expandem ainda mais a sua posição no mercado durante as décadas seguintes. As enormes vantagens da cooperação tornam-se evidentes em pouco tempo.

A fusão propunha um resultado rápido com um avanço no processo de anodização. A STEINERT era a primeira empresa a usar condutores de alumínio anodizado para a fabricação de bobinas. As camadas anodizadas funcionam como um isolante elétrico e eliminam a necessidade de encapar ou envernizar os condutores de alumínio. O processo é continuamente melhorado ao longo das décadas seguintes.

O local da empresa em Colônia foi danificado extensivamente durante a Segunda Guerra Mundial, mas a gerência e os colaboradores não ficaram desanimados com as atrocidades da guerra: Eles reconstruíram rapidamente e ampliaram a gama de produtos.

A STEINERT também começa a se estabelecer mais fortemente no mercado internacional.

1900 - Condições ideais para os negócios

No início do novo século, as condições comerciais eram ideais para a jovem empresa STEINERT. A carteira de pedidos estava cheia de clientes provenientes da mineração, construção naval, estaleiros e siderúrgicas.

Mas um crescente número de clientes também traz maiores desafios técnicos: os ímãs de separação não precisam mais lidar somente com martelos grandes ou braçadeiras de ferro, mas ao contrário, os objetos a serem separados se tornam cada vez menores e a tecnologia se torna ainda mais complexa.

Com frequência cada vez maior as máquinas nas minas de carvão precisam remover do material a granel, de forma precisa, resíduos menores tais como cabos de ignição e hastes de perfuração curvadas. A STEINERT responde expandindo sua linha de produtos para se adaptar à situação do mercado em flutuação contínua: Os imãs agora são também vendidos como dispositivos independentes. Além de melhorar a capacidade de separação, o mercado de imãs de levantamento se torna importante.

1889- Fundação da empresa STEINERT

Em 1889, Ferdinand Steinert estabelece sua empresa "Ferdinand STEINERT Elektromagnetische Aufbereitungsanlagen" na cidade de Colônia, na Alemanha. A nova empresa começou pequena, mas o mercado de ímãs de separação era enorme, porque o fenômeno do magnetismo, embora conhecido desde o século XI, só tinha sido explorado comercialmente de uma forma muito limitada.

A indústria siderúrgica foi um dos primeiros clientes da empresa. F. Steinert, que tinha como profissão a engenharia de projetos, desenvolveu então, ímãs que podiam ser usados para recuperar ferro da escória de aço e detritos, bem como de resíduos provenientes da fundição e da produção de aço. Um processo eficaz que foi logo melhorado para a separação de carvão da escória. Este avanço tecnológico desperta o interesse do operador ferroviário do German Reichsbahn, que se torna então o próximo cliente corporativo da STEINERT.

Desde o início, a missão da empresa fundada por Ferdinand Steinert é clara: separação eficiente!