Eliminada uma carência na reciclagem de ASR

02 December 2016

A GDE Recyclage, a segunda maior recicladora de sucata da França (uma subsidiária da empresa ECORE B.V., de Amsterdã), alcançou os objetivos estabelecidos na diretiva EU 2000/53/CE, sobre veículos em fim de vida útil, aprovada pelo Conselho e Parlamento Europeu em 18 de setembro de 2000. A diretiva estipula que, entre outras coisas, no mínimo 95% do peso médio dos veículos em fim de vida útil deve ser reutilizado, reciclado ou utilizado para produzir energia. Para que isso seja possível, Olivier Pitavy, Gerente de Desenvolvimento de Projetos na ECORE B.V., lidera um projeto que visa reciclar no mínimo 85% do ASR (Automobile Shredder Residue ou Resíduo Automotivo de Shredder) com recuperação adicional de energia de 10%.

Planta da GDE Recyclage

da esquerda para a direita: Gaylord Renard, Method - R&D Manager, GDE; Sven Aschoff, Service STEINERT; Karl Hoffmann, BDM STEINERT; Sebastien Moras, STEINERT Agent France

Karl Hoffmann (à esquerda), Gerente de Desenvolvimento de Negócios da STEINERT e Olivier Pitavy, Gerente de Desenvolvimento de Projetos da ECORE B.V.

O UniSort PR separa a madeira escura do plástico

STEINERT Service: painel de controle integrado para verificação dos parâmetros do Unisort PR

 

(Comunicado de imprensa PDF)

Uma empresa familiar com objetivos ambiciosos

A GDE Recyclage foi fundada há mais de 100 anos na Normandia como uma empresa familiar. Ainda hoje a sede da empresa se encontra em Rocquancourt, na Normandia. A empresa produz milhões de toneladas de matérias-primas secundárias por ano. As principais áreas de atuação são a coleta, trituração e processamento de veículos em fim de vida útil. A empresa conta com mais de 75 pontos de coleta em toda a França, 5 plantas de trituração e diversas plantas de processamento pós-trituração. Além do foco nas operações que possuem atualmente, a GDE tem trabalhado intensivamente para aprimorar suas técnicas de reciclagem. Em 2011 foram feitos investimentos na nova planta de reciclagem em Rocquancourt. Na sequência desenvolveu-se um projeto que tinha o objetivo de aumentar significativamente as taxas de reciclagem. Materiais que antes eram considerados não processáveis, agora podem ser recuperados de forma confiável, eliminando assim uma lacuna que ainda existia no processo de reciclagem. Dessa forma, o projeto de Olivier Pitavy está muito perto de superar a taxa de reciclagem de 95%, conforme objetivos estabelecidos pela UE. “O maior desafio é alcançar os objetivos estabelecidos e se manter lucrativo”, acrescenta Pitavy. “Nem todas as empresas conseguem isso. Para empresas como a nossa, que processam grandes quantidades de material, a compra dos equipamentos certos é crucial para que seja possível gerar lucro na venda das matérias primas secundárias processadas. ”

Como fechar essa lacuna no processamento

O material de entrada (resíduos de shredder) é constituído por uma mistura de plásticos, além de diferentes materiais como madeira, borracha, espuma e têxteis. Uma etapa chave do processo para atingir a taxa de 95% era separar a madeira úmida, espuma e os têxteis dos materiais plásticos. “A parte mais difícil no processo de desenvolvimento foi encontrar uma maneira de separar plásticos de um fluxo de materiais tão diversos”, disse Pitavy. “Nós queremos mostrar que podemos atingir os 95%.” Para isso, é absolutamente necessário separar a madeira do plástico em várias fases ao longo do processo de tratamento, pois a madeira é uma impureza que impede que o plástico tenha uma qualidade aceitável para venda.

Antes deste processo de triagem, o material é submetido a um sistema de separação em meio denso, no qual as características da madeira (escura e com alta umidade) representa um desafio especial. Uma vez que a madeira e os plásticos têm a mesma densidade, eles não podem ser separados por processos convencionais de separação em meio denso, explica Pitavy. “Nós precisávamos encontrar uma maneira de separar a madeira do fluxo de materiais, após ela ficar bastante úmida no processo de separação em meio denso. Com o auxílio da STEINERT, tomamos conhecimento de uma técnica de triagem capaz de separar os plásticos da madeira.”

O UniSort PR, com tecnologia HSI - Hyper Spectral Imaging - é um sistema de triagem que incorpora a mais avançada tecnologia de câmeras NIR. Esse sistema combina alta resolução espacial com alta resolução espectral. A análise da região espectral completa de cada ponto espacial na correia, combinada a um rápido e avançado algoritmo de espectrometria, permite ao sistema resolver até mesmo as tarefas complexas de triagem. A alta resolução espectral do sistema garante que, mesmo as impurezas mais complexas como a madeira molhada possam ser detectadas e separadas, apesar da sobreposição de espectros gerada pela umidade da madeira. “O nosso UniSort PR com tecnologia HSI supre essa carência de forma eficiente”, diz Karl Hoffmann, Gerente de Desenvolvimento de Negócios da STEINERT.

No total, 4 UniSort PR garantem que o material tenha a qualidade necessária na entrada de cada etapa do processo de tratamento, de modo que o material possa ser processado posteriormente. “Nós ficamos aliviados quando vimos que a tecnologia NIR da STEINERT é capaz de detectar até mesmo a madeira escura”, lembra Olivier Pitavy. A GDE vende os plásticos separados para recicladores de plásticos, que retornam o material para a indústria automotiva. Assim, o ciclo se fecha. Com relação ao futuro, Pitavy acrescenta: “Os novos veículos contêm quantidades cada vez maiores de plásticos – portanto, a demanda continuará aumentando. ”

Desenvolvimento demanda parcerias

“A STEINERT é uma das nossas parceiras mais importantes no processo de desenvolvimento. Todo o processo de desenvolvimento é executado através da cooperação entre os fornecedores e a indústria de reciclagem. Essa parceria entre as empresas, combinada à troca de conhecimentos e à confiança, é a chave para o sucesso”, define Pitavy. A parceria entre a GDE e a STEINERT começou há mais de 10 anos com o fornecimento de um sistema de separação magnética e continua até hoje, com o fornecimento de tecnologias baseadas em sensores de última geração. Pitavy relembra os 10 anos na indústria de reciclagem e observa que as exigências estão constantemente mudando e aumentando. As tecnologias disponíveis no mercado mudam num ritmo impressionante. Ele enfatiza que está sempre atento a essas novas tecnologias. Nesse sentido, uma relação de confiança com nossos fornecedores é tão importante quanto um bom serviço de pós-venda e entrega de sistemas de alta qualidade. “O equipamento deve ser capaz de se ajustar sempre que ocorrerem mudanças nas condições e objetivos da triagem, por esse motivo os serviços e suporte do fabricante são tão importantes. Para mim esse é um fator chave. ”

Antes da GDE escolher o UniSort PR, foram realizados testes no Centro de Testes da STEINERT, em Colônia (Alemanha), com material e condições de operação similares ao processo real. Foi necessário um longo período de análise até encontrarmos uma maneira confiável de fechar todo o ciclo, de modo que mesmo a madeira molhada pudesse ser separada. Sem essa etapa, teria sido impossível alcançar a taxa de reciclagem de 95% para os veículos em fim de vida útil. No entanto, isso não significa que as condições de operação na planta do cliente devam ser iguais às condições dos testes no Centro de Testes de Colônia. “Por esse motivo, toda a fase de desenvolvimento e comissionamento do projeto foi feita junto com o cliente. “Nós demos todo o suporte na fase de comissionamento, trabalhando em conjunto na planta do cliente até encontrar as condições ótimas de operação, de modo que o equipamento atendesse às expectativas iniciais do projeto”, relata Karl Hoffmann. O usuário também destacou o trabalho em equipe entre Steinert e GDE. “Eu nunca compraria uma máquina cuja tecnologia eu não consiga entender – mesmo que ela venha com boas garantias de performance”, enfatiza Pitavy. “As exigências ambientais e de mercado mudam muito rápido e a tecnologia aplicada deve ser capaz de se adaptar na mesma velocidade. ” “Além disso, eu preciso de equipamentos confiáveis, a fim de obter um rápido retorno do investimento”, enfatiza Pitavy. “Os equipamentos da STEINERT são robustos, resistentes e confiáveis. ”